quinta-feira, junho 25, 2009

A CARNE DE PORCO

Irmãos esse é um artigo que nós muçulmanos deveríamos e ler, decorar, praticar e ensinar a todos os povos. O sistema de perguntas e respostas facilitará ao leitor uma maior interação com o texto . Que Allah SW tenha piedade de nossas almas e nos conduz à vida eterna e possa oferecer a devida recompensa aos irmãos Sayd Saeed Aktar Rizvi pela confecção desse precioso artigo aos irmãos M. Yussuf M. Adamgy e Muhammad 'Ali pela tradução para o portugues, permitindo-nos um perfeito entendimento do conteúdo exposto.

Pergunta: O que ensina o Islam sobre a carne de porco?

Resposta: O porco é absolutamente impuro, e a sua carne, a gordura, etc., bem como o uso do seu couro ou de quaisquer outras partes, são estritamente proibidas: Allah disse em varias passagens do al-Qur´an sagrado: "São-vos proibido para alimentação: a carne putrefata, o sangue, a carne de porco..." (5ª: 3).

Pergunta: Eu, sendo um Cristão, não tenho dificuldade em comer carne de porco. Muitas vezes me pergunto por que é que ao meu irmão Muçulmano não foi permitido gozar desta saborosa comida, como a nós Cristãos?

Resposta: Esta Pergunta é um tanto espantosa porque, segundo as Escritura essa proibição também   foi prescrita aos Cristãos e Judeus.

Pergunta: Onde podemos ler sobre isso ?

Resposta: Bem, vamos ver o que a Bíblia diz acerca da carne de porco:

"O porco que tem o pé córneo e até o casco bifurcado, mas que não rumina, será Impuro para Vós. Não comereis carne de nenhum deles nem tocareis nos seus cadáveres: são impuros para vós." (Levítico, 11: 7-

8). "Não comereis o porco porque tem a unha fendida, mas não rumina; considerá-lo-eis impuro. " (Deuteronômio, 14: 8). O Rev. W. K. Lawther Clarke diz no seu Conciso comentário Bíblico (pub. S.P.C.K.,1952) comentando aquelas passagens: "As leis foram inculcadas e obedecidas porque elas serão incorporadas pelo desejo de Deus" (p. 371) O Dr. E. A. Widmer cita no seu artigo "A carne de porco, o Homem e a Doença" (Good Health, vol. 89, nº1):

"A carne de porco embora seja um dos artigos comuns na dieta, é um dos mais nocivos. Deus não proibiu os Hebreus de comerem carne de porco meramente para mostrar a Sua autoridade, mas, por ser um artigo de comida impróprio para o Homem".

Pergunta: Bem, estas revelações são muito interessantes. Pode fazer o favor de dar mais algumas referências dos escritos Cristãos sobre este assunto?

Resposta: Sim, sob a palavra “Porco" pode ler o discurso no Dicionário Bíblico de Westminister, que é muito claro. Aqui damos um extrato dele:

"O porco era um animal ritualmente impuro... Ele é imundo, não se nega em rejeitá-lo como refugo e carne podre, e o uso da sua carne para comida em países quentes é suspeita de gerar doenças cutâneas. Não era criado pelos Árabes (Plínio, Hist. Nat.VIII, 78), e era considerado como imundo pelos Fenícios, Etíopes e Egípcios...

Para os Judeus a carne de porco era abominável, o porco era a divisa da sujidade e da baixeza... No entanto, a carne de porco encontrou assento nas festas idólatras dos degenerados Hebreus (Isaias 65: 4 / 66: 17).

No reinado de Ânticos Epifano a ordem para um Judeu para imolar ou para provar carne de porco foi usada com meio de determinar se a pessoa era leal à religião de seus pais ou estava disposto a aceitar o culto protegido pelos seus conquistadores (I Macabeus, 1: 47- 50; II Macabeus, 6: 18; 21; 7; 1, 7).

Por muitos Judeus terem sido afetados pelas maneiras Gregas, João de Hircano achou prudente publicar um édito afim de que ninguém pudesse possuir porcos. No tempo de Cristo uma grande vara de parcos, pelo menos, era pastoreada em Decápolis (Marco, 5: 11, 13), uma região colonizada pelos Gregos, entre os quais o porco era altamente estimado como artigo de mantimento. Não há razão para supor que os Judeus fossem donos de qualquer destes porcos ou daqueles apascentados em país longínquo pelo filho pródigo (S. Lucas, 15: 15)" (pp- 584- 5) Semelhantes relatos encontram-se em quase todos os dicionários bíblicos.

Pergunta: Muito obrigado. Mas eu tenho observado justamente que todas estas citações são do Velho Testamento. Elas são obrigatórias para os Judeus. Mas, nós Cristãos, gostaríamos de conhecer qual era o ensinamento de Jesus Cristo sobre Matéria?

Resposta: Bem, eu chegarei a esse ponto. Veja, qualquer ensino do Velho Testamento, era o mesmo ensino de Jesus Cristo. Ele disse por palavras claras que a Lei do Velho Testamento era para se obedecida sem nenhuma alteração: "Não penseis que eu vim revogar a Lei ou os Profetas: Não vim revogá-la, mas completá-la. Por que em verdade, vos digo: Até que passem o Céu e a Terra, não passará um só jota ou um ápice da lei, sem que tudo se cumpra. Portanto, se alguém violar um destes mais pequenos preceitos, e ensinar assim aos homens, será o menor no Reino dos Céus. Mas aquele que os praticar e ensinar, será grande no Reino dos Céus." (Mateus 5: 17- 19).

Pergunta: Eu recordo-me de ler esse escrito dos Evangelhos várias vezes. Por vezes pergunto-me porque é que Cristo deu ênfase a esse ponto em tantas palavras?

Resposta: Foi porque ele sabia que depois da sua ascensão, alguns dos seus companheiros denunciariam a Lei. Jesus Cristo, ele próprio, obedeceu à Lei fielmente. Foi, somente, depois da sua partida deste mundo que, São Paulo, um potente orador, e membro do círculo da escola da sociedade, quem levou a alma da avançada civilização Grega (tal como, hoje em dia, muita gente tem vaidade em deixar-se ocidentalizar) a convencer os cândidos e analfabetos Cristãos a abandonarem a Lei. É muito significativo o fato de ele, pessoalmente, nunca se ter encontrado com Jesus Cristo, e esses que se lhe opunham serem constantes companheiros de Cristo. Jesus Cristo corrigiu os fariseus na interpretação falsa da Lei. Por exemplo, os discípulos na sua ânsia de apanhar as espigas de trigo no dia de Sábado. Quando os fariseus objetaram, Jesus Cristo retorquiu, "o sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado" (Marcos, 2: 27). Mas nunca disse alguma coisa contra a lei, incluindo o regime dietético.

Por outro lado S. Paulo denunciou a Lei dizendo: "Porque a Lei produz a ira, e onde não há Lei, também não há transgressão." (S. Paulo, 4: 15).

Pergunta: Esta lógica parece  muito convincente, mas, seria funcional?

Resposta: Bem, se está realmente convencido deste raciocínio, então que se desfaça o poderes legislativos    e fechem os tribunais. Será que com isso não haverá  mais crimes porque não haverá lei para transgredir?

Pergunta: Eu não penso que algum governo Cristão gostasse dessa sugestão. Vamos esquecê-la. Mas diga-me como é que S. Paulo ab-rogou a Lei?

Resposta: Ele proclamou que, "Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nada é impuro em si mesmo, a não ser para quem considera uma coisa impura: para esse é que é impuro" (Paulo, carta aos rom, 14: 14)

Pergunta: Bom, eu penso que ele arrumou o caso primorosamente.

Resposta: Não. Pelo contrário, ele criou mais problemas do que revelou. Suposto que isso é o que Jesus Cristo tenha prometido para ser dogma da Cristandade, porque razão então não o declarou quando ele estava com os seus discípulos neste mundo?

Por que advogou ele a teoria da imutabilidade da Lei Mosaica? Queria São Paulo fazer crer ao povo que Jesus Cristo não era sincero nas suas declarações quando ele estava entre o povo?

Teria Saulo de Tarso mais autoridade do que Deus Louvado Seja quando fez a proibição por Lei aos Judeus? O seria ainda maior do que Jesus (Que Deus Esteja Satisfeito com Ele), que afirmou que não veio para distruir as leis, mas para aperfeiçoá-las e cumprí-las? Eu particularmente prefiro ficar com Deus e Jesus Cristo.

Nós, os Muçulmanos, não podemos acreditar nisso. Pelo que toca aos Cristãos, a ação fala mais alto do que as palavras.

Pergunta: Eu devo admitir que o senhor possui argumentos muito fortes aqui. Agora concordo que, de acordo com a primitiva Cristandade, a carne de porco foi e continuará proibida. Mas, falando francamente, eu não encontro qualquer coisa inconveniente com respeito à carne de porco.

Resposta: Eu espero que não seja uma daquelas pessoas que pensam que imitar a cultura ocidental é prova de civilização. Deus, ao dirigir os princípios dietéticos aos Filhos de Israel e, a seguir aos Muçulmanos, quis que estes preceitos fossem uma fonte de contínuo beneficio para a humanidade. A transferência de certas doenças, como a pesquisa médica moderna comprovou, seria adequada justificação para esta antiga lei.

Pergunta: Mas esta "transferência de doença" não é somente característica da carne de porco. Até a carne de vaca e a de carneiro contêm alguns germes de doença?

Resposta: Bem, porque limita o seu argumento à carne de vaca e à carne de carneiro? Nós sabemos que igualmente os vegetais contêm germes infecciosos. Mas o fato é que a carne de porco prevalece com supremacia no imenso conteúdo de germes entre todas as carnes que são conhecidas pelos seres humanos. Quanto mais lemos sobre isso mais medo temos.

Pergunta: Pode nomear alguns desses germes aos quais acaba de se referir?

Resposta: A seguinte lista mostra germes ou parasitas que são encontrados na carne de porco. Muitos deles são contagiosos, outros são fatais. Isto prova, mais uma vez, que, à medida que a ciência avança, mais provado é o Islam ser correto em tantos casos. Hoje a ciência da parasitologia registra o protozoário cilium, a tênia da carne de porco e o parasita triquina como causadores de enfermidades que o porco partilha com o homem.

Pergunta: bem, eu desconheço essas palavras latinas. Por favor, explique-as em linguagem simples.

Resposta: De fato eu não usei os seus nomes latinos completamente. Por exemplo, o protozoário cilium é chamado pelos médicos "Balantidium Coli". É um "parasita que se aloja no intestino grosso" e é "o maior protozoário que afeta o homem."

Pergunta: O que tem a ver o "balantidium Coli" com os porcos e de que modo afeta ele os seres humanos?

Resposta: É morador normal dos intestinos dos porcos. É excretado pelas fezes, e encontrado no ambiente exterior que lhe é inconveniente, desenvolve uma concha à sua volta que é chamada de "quisto". O quisto contém parasitas vivos que comunicam com a dieta do homem até entrar nos seus intestinos; foi descoberto pelos Doutores Malmston(1857) e Stein(1862). O Dr. E. A. Widmer escreve no seu artigo " A carne de porco, o Homem, e a Doença"(Boa saúde, vol. 69, n°1), o seguinte:

"O protozoário cilium, tecnicamente conhecido como "Balantidium Coli", é extremamente comum ao porco. Exames recentes em vários países revelam uma incidência variável entre 21 a 100%. Este organismo é muito menos comum no homem.A incidência geral de um por cento referida em Porto Rico é  representativa da incidência em diversos países. Quando descoberto ao homem, sérios sintomas clínicos podem seguir-se. A evidência corrente aponta a carne de porco como a fonte principal da infecção humana."

Pergunta: E, quais são esses "sérios sintomas clínicos" que são causados por este germe?

Resposta: Produção de incurável dissentiria. A disenteria uma doença muito familiar nas pessoas. Os sintomas desta doença são horrivelmente agudos e podem terminar fatalmente. Infelizmente, até hoje, não há cura especifica para a disenteria causada pelo "balantidium Coli". Segundo o Dr. Chandier no seu livro "Parasitas Animais e Doenças Humanas"(pág. 7) "é somente nos países criadores de porcos, e onde há interação dos humanos aos recintos onde são criados os porcos que a doença é freqüente".

Pergunta: Quais são os outros germes que são transferidos do porco para o homem?

Resposta: Há muito mais. Por exemplo, há o "Trichinella Spiralis" (Vermes da Triquina). O Dr. Glen Shephered escreveu um artigo sobre os perigos do consumo da carne de porco publicado no "Washington Post" do dia 31 de Maio de 1952; e as seguintes informações são extraídas desse artigo:

"Nos Estados Unidos da América e no Canadá, uma em cada seis pessoas têm vermes nos seus músculos - Triquinose - por causa do consumo da carne de porco infectado com o Triquina ou "Trichinelly". Muitas pessoas assim infectadas não mostram sintomas. a maior parte delas que o têm restabelecem-se vagarosamente, algumas morrem. Algumas ficam  inválidas permanentes. “Todas foram descuidadas ao comerem carne de porco”. Ele continua: "Ninguém é imune a esta doença, e não há cura. Nenhum antibiótico, nem drogas ou vacinas afetam mortalmente este pequenino verme.

Prevenindo a infecção é a verdadeira solução"."O verme Triquina adulto tem cerca de 1/8 de polegada de comprimento por 1/4 de polegada de largura. Eles permanecem vivos entre as fibras musculares por quase quarenta anos, enrolados em forma de limão, como pequeníssimas cápsulas invisíveis.

Quando comer carne infectada, estas cápsulas de vermes dormentes são digeridas mas, o seu conteúdo ativo transforma-se em vermes de tamanho completo, cada um dos quais tem, por sua vez, 1.500 descendentes. Eles procriam no vosso sangue em uma ou três semanas depois de consumirdes seus pais. Porque vários órgãos podem ser falidos pelos vermes, os sintomas podem assemelhar-se àqueles das outras cinqüenta doenças. “Isto torna difícil o diagnóstico”.

Pergunta: Disse no principio que "a carne de porco tem predomínio supremo no maior conteúdo de germes entre todas as carnes pelos seres humanos." Eu gostaria de ter uma pormenorizada lista desses germes.

Resposta: Em adição à bactéria descrita atrás, a carne de porco é o principal portador dos seguintes parasitas e germes:

1. Tênia;
2. Lombriga;
3. Hook Worms (verme de gancho);
4. faciolopsis Buski;
5. Paragonimus;
6. Clonorchis Sinesis;
7. Erysipelothrix Rhussiophthiae.

PerguntaPode explicar a  relação dos germes acima com a carne de porco?

Resposta: Vamos começar pela Tênia. A tênia é chamada Taenia Solium em Latim. A carne de porco é a principal fonte desta infecção.

A incidência da infecção humana com a tênia da carne de porco varia através do mundo. No seu novo relatório clássico "Este Mundo Bichoso", (1947), Stoll estimou que 2,5 milhões de pessoas, por toda a parte do mundo, foram infectadas com o seu organismo.

Pergunta:  O que se diz da lombriga?

Resposta: É um parasita, de seis a dez polegadas de comprimento, que também é chamado de "verme viajante" porque ele passa por vários órgãos do corpo humano. O Dr. Ramson em "Parasitologia Silenciosa" menciona que estes parasitas são idênticos aos que se fixam nos porcos; eles pertencem às mesmas espécies. Quer dizer que o verme que está fixado na carne de porco é muito facilmente transferido para os seres humanos, aonde ele faz muitos estragos. A mesma declaração está inserida na Enciclopédia Britânica sob o título "Round Worn".

Pergunta: Agora estou inteiramente convencido de que a carne de porco não é comida, mas um pacote de venenos. Ainda assim eu tinha ouvido dizer a muita gente que, na atualidade, os porcos são criados em condições higiênicas, e alimentados com comida limpa, e, que eles são muito diferentes dos seus antepassados que comiam imundices humanas e terra; e que a sua alimentação não é perigo para a saúde.

Resposta: Todos os relatórios de médicos citados antes são sobre esses muitos porcos que são criados em condições higiênicas e, todavia, transportam germes. esses são os descobrimentos do tempo recente, baseados nas experiências da moderna criação do porco. E ainda devem ser assinalados os relatos como se segue:

"A Balantidium Coli é extremamente comum no porco. Exames recentes revelaram uma incidência de 21 para 100 por cento".

"É somente nos países de criação de porcos... que estas doenças são freqüentes".

"Nos Estados Unidos da América e no Canadá, uma em cada seis pessoas tem vermes nos seus músculos por comer carne de porco".

"Ninguém está imune desta doença e não há cura. Nenhum antibiótico nem drogas ou vacinas têm efeito nestes pequeníssimos vermes implacáveis".

"Não há, todavia, meio de matar o parasita (Parangonemos) nos tecidos, nem sequer têm alguma forma de descobrir um método para expeli-lo".

"A ciência médica, a despeito dos seus árduos esforços, não tem sido capaz, contudo, de produzir algum tratamento específico para a Clonorchiasis".

"O Erysipelotix encontra-se no corpo de uns 30% de todos os porcos sãos. Por conseguinte, a erradicação é impossível".

Hoje, todas as quintas de porcos estão a trabalhar dentro dos assim chamados princípios higiênicos. Mas, mesmo assim, o resultado é o mesmo que era há séculos atrás.

Todavia, permita-nos, em prol da discussão, aceitar que pode chegar um tempo (em futuro distante, talvez) em que podem ser descobertas drogas para neutralizar os maus efeitos dos germes e parasitas transportados pelo porco. Mas, até então, não se deveria autorizar o uso da carne de porco como alimentação, justamente como a descoberta do soro da mordidela da cobra não aprova a nossa ação de pôr os nossos dedos na boca da cobra.

E há um fator, ligado aos aspectos moral do homem, que de nenhum modo pode permitir-nos participar no seu alimento detestável.

Pergunta: Qual é esse fator?

Resposta: Esse fator é que a carne de porco provoca o descaramento.

Pergunta: Como pode afirmar isso?

Resposta: Em primeiro lugar deixe-nos obter uma coisa exata. O homem é composto por corpo,mente e alma. O cérebro, a sede da mente (com todas as funções de pensamento, sentimento, e outros aspectos psicológicos) é uma parte do corpo recebe a nutrição como uma das suas partes.

Em qualquer dado momento, milhares de células no nosso corpo estão a ser consumidas e gastas para fazer funcionar a complexa maquinaria do corpo; a alimentação proporciona a substituição daquelas células consumidas. As partículas do alimento tornam-se uma parte do corpo, e uma parte delas vai para o cérebro. É do conhecimento geral que a comida tem efeito na saúde do corpo. Mas poucas pessoas compreendem que ela, também, tem efeitos sobre o cérebro ( e desta maneira, na mente).

Uma comida limpa, obtida por meio legítimo, e tomada com o pensamento tranqüilo, ocasiona bons resultados na saúde de ambos: corpo e mente. Mas uma comida impura, ou uma comida tomada durante o tempo de distúrbio emocional prejudica o corpo e a mente.

O porco é o tal animal que, mesmo nos países onde a carne de porco é um artigo de comer altamente desejado, o seu nome significa pessoa porca, grosseira, sensualista, glutona. Igualmente "PORCO" é sinônimo de depravado e degenerado. Isto é porque o porco é um Desavergonhado Sensualista.

Os povos que usam a carne de porco são gradualmente influenciados pelas suas inerentes lubricidades; e quando esta tendência influencia as mentes, o descaramento torna-se em norma do dia: a modéstia e a proibidade transforma-se em velhas idéias moldadas que são banidas do espírito no altar da sensualidade e de perversão.

BISMILLAH AL-RAHMAN AL-Rahim•Wassalatu Wassalamu Ala Ashraful Mursaleen Allahumma Sali Ala Muhammad ua Aali Muhammad Imploramos a ALLAH (SW), que nos ajude, nos dê uma boa orientação para o benefício do Islã e dos muçulmanos, corrigindo nossos trabalhos, nossas intenções e nossas ações.

Agradecemos a ALLAH (SW) que é o único Senhor do universo. Que ALLAH (SW), aceite este trabalho, nos dando uma boa recompensa nesta vida e na outra. Principalmente às pessoas que nos precederam nesse trabalho e nos serviram como orientadores! Subhanna Allah!(Louvado Seja Allah(SW).

"Ó fiéis, atendei a Allah e ao Mensageiro, quando ele vos convocar à salvação. E sabei que Allah intercede entre o homem e o seu coração, e que sereis congregados ante Ele." 8:24

Fontes: Alcorão Sagrado – Biblia Sagrada - Sayd Saeed Aktar Rizvi Tradução de: M. Yussuf M. Adamgy e muhammad 'Ali.

8 comentários:

Anônimo disse...

muito bom o escritor ta de parabens faça mais desses me ajudou bastande

Anônimo disse...

Eu, desde criança fui um acérrimo apaixonado por CARNE DE PORCO, mas lendo hoje,todas essas explicações, esclarecimentos e debates, contando já com algunas dezenas de anos de existência, vou fazer todos os possíveis, apelando a Deus que ajude a deixá-la de uma vez por todas. Foi muito bom e proveitoso ter entrado neste site e entender tudo tudo li sobre a questão. Um muito obrigado pela disponibilidade.

Mainala disse...

Aleikum Assalamum, bem o artigo é lindo, contudo quando nos defendemos uma posicao procuramos todos argumentos possives para convecer outrem... Mainala

Hajj Hamza disse...

Mainala,realmente somos determinados quando se trata de um desejo de Allah Louvado Seja. Mas também, somos bastante tolerantes e a exemplo de Allah SW respeitamos o livre arbítrio. Agradeço o seu comentário e rogo para que Allah SW possa nos iluminar sempre e lhe conceda um Feliz 2011. Assalamu Aleikum

Unknown disse...

Deixando a religão de lado o assunto é interessante e deve ser passado a todos,afinal o Criador de todas as coisas é um só.O homem ,indevidamente,se paropria dele do Seu nome e o usa em vão ou na defesa dos seu pontos de vista,não fosse isso não teria havido a cizânia religiosa ao longo da história,como matança que não resulta em nada.Quatro olhos vêm mais do que dois ,quando olham na mesma direção.O que mata também pode curar.Tudo depende da quantidade ou forma de usar.O simples ato de lavar as maos salvou a vida de milhares de mulheres na Austria e no mundo.Acreditamos que toda a obra de Criador é perfeita ,nós é precisamos aprender a usá-la.
JATeixeira.

sulaiman tahir disse...

se ALLAH proibiu ,é porque é o certo e ninguém poderá contestar ou mudar

sulaiman tahir disse...

o que ALLAH determina sempre será a verdade

sulaiman tahir disse...

se ALLAH proibiu ,é porque é o certo e ninguém poderá contestar ou mudar