sábado, agosto 13, 2011

A Libertação das Mulheres Através do Islam‏


Hoje em dia, as pessoas acham que as mulheres ocidentais são livres e que o movimento de libertação da mulher começou no século XX. Na verdade, este movimento não foi iniciado pelas mulheres, e sim foi revelado por Deus, no século VII, a um homem de nome Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), que é conhecido como o último Profeta do Islam. O Alcorão e as sunnas são fontes de onde as mulheres muçulmanas tiram seus direitos e deveres.
1. DIREITOS HUMANOS
Há quatorze séculos atrás, o Islam tornou as mulheres igualmente responsáveis perante Deus, glorificando-O e adorando-O, sem qualquer limite para o seu progresso moral. O Islam também estabeleceu a igualdade da mulher em relação ao homem.
Nos primeiros cinco versículos do capítulo intitulado "As Mulheres", do Alcorão, diz Deus:

" Ó humanos, temei a vosso Senhor, que vos criou de um só ser, do qual criou a sua companheira e, de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres. Temei a Deus, em nome do Qual exigis os vossos direitos mútuos e reverenciai os laços de parentesco, porque Deus é vosso Observador." (Alcorão Sagrado 4:1)

Tendo em vista que homens e mulheres são provenientes da mesma natureza, eles são iguais em sua humanidade. As mulheres não são más em sua essência (como algumas religiões acreditam), assim como os homens também não o são. Da mesma forma, não há superioridade de sexos porque seria uma contradição do princípio da igualdade.
2. DIREITOS CIVIS
No Islam, a mulher tem a liberdade de escolha e de expressão, baseada no reconhecimento de sua personalidade individual. Em primeiro lugar, ela é livre para escolher sua religião. O Alcorão afirma que:

"Não há compulsão quanto à religião, porque já se destacou a verdade do erro." (Alcorão Sagrado 2:256)

No Islam, as mulheres são incentivadas a contribuir com suas opiniões e idéias. Existem muitas tradições do Profeta (SAS) que mostram as mulheres apresentando questões diretamente a ele e oferecendo suas opiniões em assuntos relativos a religião, economia e questões sociais.
A mulher muçulmana escolhe seu marido e mantém seu nome depois de casada. O testemunho da mulher é válido nas demandas judiciais. Na verdade, nas questões em que as mulheres estão mais familiarizadas, sua evidência é conclusiva.
3. DIREITOS SOCIAIS
O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse: 
"Buscar o conhecimento é uma obrigação para todo muçulmano (homem e mulher)." 
Isto inclui o estudo do Alcorão e dos hadiss, assim como outros conhecimentos. Homens e mulheres têm a capacidade de aprender e compreender. Tendo em vista que também é obrigação do muçulmano promover o bom comportamento e condenar o mau comportamento em todas as esferas da vida, a muçulmana precisa adquirir uma educação apropriada para se desincumbir de suas obrigações, de acordo com seus dons e talentos naturais.
A manutenção da casa, o apoio ao marido e a criação e instrução das crianças estão entre os mais elevados e respeitados deveres da mulher. Mas, se ela tiver habilidades para trabalhar fora de casa pelo bem da comunidade, ela pode, desde que cumpridas as obrigações com a sua família.
O Islam reconhece e cultiva as diferenças naturais entre homens e mulheres, não obstante serem iguais. Alguns tipos de trabalho são mais adequados para os homens e outros para as mulheres. De forma nenhuma isto diminui um e beneficia o outro. Deus recompensará ambos os sexos, igualmente, pelo valor de seu trabalho, embora não seja necessariamente a mesma atividade.
Em relação à maternidade, o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse:
"O céu está sob os pés das mães."
Isto quer dizer que o sucesso de uma sociedade está intimamente ligado ao papel desempenhado pelas mães. A primeira e mais forte influência sobre uma pessoa vem do sentimento de segurança, afeto e do exemplo recebidos de sua mãe. Portanto, a mulher que tem filhos deve ser instruída e consciente, a fim de que possa exercer a maternidade habilmente.
4. DIREITOS POLÍTICOS
Um direito concedido por Deus às mulheres muçulmanas, há mais de 1400 anos atrás, foi o direito de votar. A mulher pode expressar sua opinião e participar de questões políticas. Um exemplo relatado no Alcorão é

''aquele em que Muhammad é informado de que, quando as crentes se apresentassem a ele para jurar fidelidade ao Islam, ele deveria aceitar o compromisso.'' (Alcorão Sagrado 60:12)

Isto criou o direito das mulheres de escolher seu líder e declarar publicamente. Finalmente, o Islam não proíbe a mulher de exercer cargos importantes no governo. Abdur-Rahman Ibn Auf consultou muitas mulheres antes de indicar Uthman Ibn Affan para Califa.
5. DIREITOS ECONÔMICOS
O Alcorão diz:

"Por Quem criou o masculino e o feminino, que os vossos esforços são diferentes (quanto às metas a atingir)." (Alcorão Sagrado 92:3-4)

Nestes versículos, Deus declara que Ele criou homens e mulheres diferentes, com papéis, funções e habilidades específicas. Da mesma forma que em uma sociedade, onde existe a divisão do trabalho, assim também é na família, onde cada membro tem responsabilidades diferentes. No geral, o Islam afirma que às mulheres foi confiado o papel de nutris, e aos homens o de guardião. Por isso as mulheres têm o direito ao sustento.
O Alcorão diz:

"Os homens são os protetores das mulheres, porque Deus dotou uns com mais (força) do que as outras, e pelo seu sustento do seu pecúlio." (Alcorão Sagrado 4:34)

A proteção e a responsabilidade financeira foram outorgadas ao homem, por isso ele deve prover as mulheres não só financeiramente, mas também com proteção física e tratamento afável e respeitoso. A mulher muçulmana tem o privilégio de ganhar seu dinheiro, o direito de ter propriedades, de assinar contratos e de administrar seus bens da forma que desejar. Ela pode gerir seus próprios negócios e ninguém pode reivindicar seus ganhos, nem mesmo o marido. Diz o Alcorão:

"Não ambicioneis aquilo com que Deus agraciou uns, mais do que aquilo com que (agraciou) outros, porque aos homens lhes corresponderá aquilo que ganharem; assim também as mulheres terão aquilo que ganharem. Rogai a Deus que vos conceda a Sua graça, porque Ele é Onisciente." (Alcorão Sagrado 4:32)

A mulher herda de seus parentes. Diz o Alcorão:

"Aos filhos varões corresponde uma parte do que tenham deixado os seus pais e parentes. Às mulheres também corresponde uma parte do que tenham deixado os pais e parentes, quer seja exígua ou vasta - uma quantia obrigatória." (Alcorão Sagrado 4:7)
6. DIREITOS DA ESPOSA
Diz o Alcorão:

"E entre os Seus sinais está o de que Ele vos criou companheiras para que possais viver em paz com elas e Ele colocou misericórdia e amor entre vós. Na verdade, nisto há sinais para aqueles que meditam." (Alcorão Sagrado 30:21)

Portanto, o casamento não é apenas uma necessidade emocional ou física, e sim um sinal de Deus. É uma relação que envolve direitos e deveres mútuos, baseada na orientação divina. Deus criou homens e mulheres com naturezas complementares e, no Alcorão, Ele ditou um sistema de leis que amparam a interação harmoniosa entre os sexos.

"... Elas são as vossas vestimentas e vós sois as delas." (Alcorão Sagrado 2:187)

A roupa fornece a proteção física e encobre a beleza e as imperfeições do corpo. É assim que o casal é visto. Cada um protege o outro, oculta as falhas e elogia as características do outro.
Para nutrir o amor e a segurança que chegam com o casamento, as esposas muçulmanas têm vários direitos. O primeiro deles é o recebimento do
mahr, um presente do marido, que faz parte do contrato matrimonial e é obrigatório para legitimar o casamento.
O segundo, é o direito ao sustento. Independente de qualquer bem que ela possa ter, seu marido é obrigado a alimentá-la, hospedá-la e vesti-la. No entanto, ele não é obrigado a gastar além de suas possibilidades e a esposa não tem o direito de fazer exigências descabidas. Diz o Alcorão:

"Que o abastado retribua segundo suas posses; quanto àquele, cujos recursos forem parcos, que retribua com aquilo com que Deus lhe agraciou. Deus não impõe a ninguém obrigação superior ao que lhe concedeu; Deus trocará a dificuldade pela facilidade." (Alcorão Sagrado 65:7)

Deus nos diz que os homens são protetores das mulheres e que a eles cabe a liderança da família. Sua responsabilidade na obediência a Deus se estende na orientação de sua família para obedecer a Deus Os direitos da esposa também vão além das necessidades materiais. Ela tem direito ao tratamento amável. O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse:
"Os fiéis mais perfeitos são os melhores na conduta. E o melhor de vós são aqueles que são melhores com as esposas."
Deus nos diz que Ele criou companheiras e colocou amor, misericórdia e paz entre eles. Homens e mulheres precisam de companhia e têm necessidades sexuais. O casamento foi idealizado para atender a essas necessidades. O cônjuge que negue esta satisfação ao outro, abre caminho para a tentação de ir buscar em outro lugar, fora do casamento.
7. DEVERES DA ESPOSA
Direitos implicam em responsabilidades. Por isso, as esposas têm certas obrigações para com seus maridos. O Alcorão diz:

"As boas esposas são as devotas, que guardam, na ausência (do marido), o segredo que Deus ordenou que fosse guardado." (Alcorão Sagrado 4:34)

A esposa deve guardar os segredos do marido e proteger a privacidade do casamento. As questões íntimas ou os defeitos do marido que possam desonrá-lo não devem ser divulgados pela esposa, da mesma forma que ele deve guardar a honra dela.
A esposa deve proteger a propriedade do marido. Ela deve guardar seu lar e bens do roubo ou dos danos materiais. Ela deve administrar as questões domésticas sabiamente, assim como evitar perdas. Não deve permitir a entrada de pessoas de quem seu marido não goste, nem efetuar despesas que ele desaprove.
A mulher muçulmana deve cooperar com o marido. No entanto, não pode haver cooperação com um homem que não obedece a Deus. Ela não deve atender a solicitações dele que sejam ilícitas. O marido também não deve tirar vantagem de sua esposa e sim ser compreensivo com suas necessidades e felicidade.
8. CONCLUSÃO
Diz o Alcorão:

"Não é dado ao fiel, nem à fiel, agir conforme seu arbítrio, quando Deus e Seu Mensageiro é que decidem o assunto. Sabei que quem desobedecer a Deus e ao Seu Mensageiro desviar-se-á evidentemente." (Alcorão Sagrado 33:36)

A mulher muçulmana recebeu uma tarefa, deveres e direitos há 1400 anos atrás, e que não são usufruídos pela maior parte das mulheres, mesmo no Ocidente. Eles vieram de Deus e foram projetados para manter o equilíbrio da sociedade. O que pode parecer injusto ou incompleto de um lado é compensado em outro. O Islam é um modo de vida completo.
“Ó fiéis, atendei a Allah e ao Mensageiro, quando ele vos convocar à salvação. E sabei que Allah intercede entre o homem e o seu coração, e que sereis congregados ante Ele.” 8:24

Asalamo Alaikom WA WB,